19 Agosto 2019      10:59

Está aqui

Aeroneo desiste de se instalar em Beja

A Aeroneo, empresa que pretendia desde 2015 instalar-se para desmantelar aeronaves no aeroporto de Beja, sobretudo Antonov's a operar em África, desistiu do projeto.

O Conselho de Ministros aprovou em 2017 a desafetação de terrenos junto ao aeroporto de Beja e reconheceu o interesse público da instalação da Aeroneo em Beja, numa operação que iria significar um investimento de 35 milhões de euros e criar então 80 postos de trabalho, na instalação de uma unidade de manutenção e desmantelamento de aviões, que já estava acordada desde 2015 entre a ANA - Aeroportos de Portugal e a empresa com sede nacional mas com participação da suiça GreenParts Holding.

Atrasos na instalação da Empresa estarão na base da desistência da empresa

Ainda em 2017 município de Beja em comunicado denunciou aquilo a que chamou de "mais um atraso no processo de instalação da unidade industrial da AeroNeo no Aeroporto de Beja", responsabilizando o Governo" e de estruturas dele dependentes" pela" falta de resolução" neste processo. Estaria em causa uma assinatura "por parte da Força Aérea", que estava a atrasar a autorização do Governo, para a instalação daquela empresa do ramo aeronautico no aeroporto de Beja.

Paulo Arsénio, presidente da autarquia, já assumiu que o contrato com a Aeroneo e o Estado Português não se concretizou mas que o município vai continuar a procurar novos investimentos. "Nós trabalhamos para o que está a ser feito e no que pode vir a ser feito de bom no aeroporto com reflexo para a região".

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.