28 Maio 2020      11:45

Está aqui

Évora: Petição pública pede menos carros e mais vias cicláveis e pedonais

Está a circular uma petição pública dirigida à Assembleia Municipal de Évora para que lance um debate público urgente "sobre a necessidade de apoiar e fomentar o uso dos modos ativos de deslocação no combate à pandemia de COVID-19".

Segundo o texto daquela petição, promovida "por um conjunto de cidadãos" e que está a recolher assinaturas no concelho de Évora "em 2011, os dados do INE indicavam que 66% das deslocações em Évora se faziam em transporte individual.Hoje, a nossa percepção é a de que a dependência do transporte individual em Évora se tem acentuado ainda mais".

Sublinhando os "benefícios, para as pessoas, das cidades que privilegiam a mobilidade activa: mais saúde, melhor ambiente, mais e melhor socialização, mais inclusão, incentivo à autonomia das crianças e jovens, poupança junto das famílias e ajuda ao comércio local", os promotores defendem que a "mobilidade pós-COVID-19 constitui uma oportunidade para a mudança do paradigma da mobilidade em muitas cidades no mundo", citando a Organização Mundial de Saúde, que defende "mais espaço para as pessoas que andam a pé e que se deslocam de bicicleta", mais espaço público "às esplanadas e ao comércio local" como forma de combater a pandemia do Covid-19.

Ainda para os promotores, que vêem as atuais circunstâncias como uma oportunidade “voltar à anterior ‘normalidade não é uma opção".

A petição defende o fecho de ruas ao tráfego automóvel, garantido maior segurança e distanciamento físico a quem se desloca a pé ou em bicicleta; a supressão de vias de trânsito, em particular nos eixos viários, em meio urbano, com mais do que uma via de trânsito em cada sentido. Em alternativa, supressão de vias de estacionamento, disponibilizando essas faixas para a utilização dos modos activos, garantindo maior segurança e distanciamento físico; o alargamento e desobstrução de passeios; a redução dos tempos de espera nas passagens de peões semaforizadas, por forma a diminuir a aglomeração de pessoas; a criação de ciclovias pop-up sem prejudicar o espaço pedonal, com prioridade aos principais eixos de deslocações; uma campanha de comunicação, acompanhando as recomendações da Organização Mundial da Saúde, apelando aos cidadãos para que, sempre que possível, utilizem a bicicleta ou caminhem nas deslocações necessárias e a intercessão, junto das forças de segurança, para uma fiscalização mais efectiva dos comportamentos de risco na condução de veículos motorizados, nomeadamente excessos de velocidade, estacionamento em locais de passagem de peões (passeios e passadeiras) e incumprimento das regras de ultrapassagem a ciclistas.

A petição pode ser vista aqui.

 

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.