27 Março 2015      19:22

Está aqui

Grupo Académico Seistetos festeja 23º Aniversário com forte presença do Cante Alentejano

O Grupo Académico Seistetos da Universidade de Évora está a celebrar o seu 23º Aniversário. Para assinalar a efeméride o grupo está a organizar o II Badalo um encontro de Tunas que se realiza em Évora. O Badalo este ano tem a particularidade de se prolongar por três dias, sendo o primeiro evento já hoje com um Arraial no jardim do Granito da Universidade de Évora.

Na próxima sexta-feira o grupo organiza na Arena de Évora um evento dedicado ao Cante Alentejano, denominado Cantar o Alentejo entre mestres e aprendizes. Este evento terá a participação de nove grupos corais e apresentação de Armando Carvalhêda.11046849_808860595870973_1496340704376915801_o.jpg

 

No dia 28 ocorre o encontro propriamente dito com a participação a apresentação de Jorge Serafim. Pelas 15:00 decorrerá em Évora o Passa Calles evento onde os grupos convidados vagueiam pela cidade em percurso pré-definido pela organização com vista a que os convidados conheçam melhor a cidade, e às 21:30 decorre o Festival na Arena d’Évora. As tunas participantes são a FAN-Farra Académica de Coimbra, a ActuaTuna – Tuna Universitária do Instituto Universitário Ciências Psicológicas Sociais e da Vida e a TFB - Tuna Feminina de Biomédicas do Porto. Em suma uma Tuna Mista, uma masculina e uma feminina.

Preços dos Bilhetes:

Arraial – 2€ 

Homenagem ao Cante Alentejano – 3,5€

Encontro – 2,5€ (grátis para estudantes)

 

O Tribuna Alentejo conversou com Bruno Neto, atual presidente da direção do Grupo Académico Seistetos que  nos garantiu "que a população eborense pode ainda esperar muitas surpresas, uma grande valorização do cante alentejano assim como uma contribuição para o aumento do espirito académico através da entrada grátis a estudantes."

À pergunta sobre como serão os próximos 23 anos do Seistetos, Bruno Neto diz que "é nossas vontade que o grupo cresça ainda mais. Vamos trabalhar para isso." Há pergunta sobre como gostavas de ver o Grupo daqui a 23 anos responde " que os Seistetos sejam conhecidos a nível nacional e também com reconhecimento internacional e que o Badalo seja um evento de referência do género a nível nacional. Que os Seistetos nunca percam as suas raízes ligadas ao Alentejo e ao Cante Alentejano. Estamos confiantes no futuro visto termos cada vez mais "malta nova" para levar o grupo adiante".

Foto retirada da página ofical do Grupo Académico Seistetos da Rede Social Facebook

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.