7 Novembro 2015      13:12

Está aqui

DANIEL BLAUFUKS EXPÕE EM ÉVORA

frades cartuxos

O artista português Daniel Blaufuks - lisboeta de 52 anos e descendente de uma família de refugiados judeus alemães – que realizou a sua formação artística na escola de artes AR.CO, em Lisboa, no Royal College of Arts, em Londres (Inglaterra), e na Watermill Foundation, em Nova Iorque (Estados Unidos), vai expor em Évora, no fórum da Fundação Eugénio de Almeida (FEA), cerca de 20 fotografias da sua autoria e que retratam o icónico Convento da Cartuxa, em Évora.

Este mosteiro é o único mosteiro contemplativo masculino de Portugal, e é pertencente à ordem iniciada por São Bruno e que se instalou em Évora pela mão de D. Teotónio de Bragança (1530-1602), que o dedicou à Virgem Maria, sob a denominação 'Scala Coeli', a Escada do Céu.

O convento viria a ser comprado ao Estado, em 1869,por José Maria Eugénio de Almeida. Foi restaurado e posteriormente devolvido à Ordem Cartusiana pelo seu bisneto, Vasco Maria.

Esta exposição do vencedor do Prémio BES Photo em 2007 – e com o nome “Prece Geral” - será apresentada este sábado, e estará patente até 10 de janeiro de 2016,

Daniel Blaufuks procura retratar nas suas fotos "a austeridade do mosteiro, com os seus espaços de silêncio, em busca das substâncias que constituem o seu mistério", disse fonte da FEA à Lusa, e que acrescentou que a exposição é uma "coleção de fragmentos, de memórias pessoais, vulgares e quotidianas” e que esta foi a base do trabalho de Blaufuks que permite o cruzamento da arte com o preservar da História, ou de uma visão própria sobre a mesma. Com esta dimensão, continuou a fundação, o artista "cruza uma investigação sobre a história e a importância da imagem na construção e preservação da história ou de uma determinada visão da história".

Neste sentido, em simultâneo com a inauguração da exposição decorrerá uma conversa - 'Mistérios de um Convento' - entre o artista e Anísio Franco, historiador de arte e conservador do Museu Nacional de Arte Antiga, em torno das histórias, imagens e mistérios de um convento.

Prece Geral" -com curadoria de Filipa Oliveira - marca o início do projeto 'Re-inventar a Memória', promovido pelo Fórum Eugénio de Almeida e visa fomentar novos entendimentos e compreender melhor o património de Évora e da própria fundação.

Em exibição no Fórum Eugénio de Almeida estão ainda mais duas exposições “Ah, Finalmente, Natureza”, de Gabriela Albergaria, e o “Departamento dos Futuros Abandonados” do dinamarquês Joachim Koester.

 

Imagem daqui

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.