7 Setembro 2015      14:52

Está aqui

ADEGAS ALENTEJANAS NAS MAIS BELAS DE PORTUGAL

Numa lista de 12 das mais belas adegas de Portugal, em artigo do Expresso, existem 3 alentejanas. Sabe quais são?

Do mesmo modo que o vinho e a sua produção evoluíram, também as adegas acompanharam esse processo de evolução e melhoramento. Hoje temos adegas modernas que, só por si, são chamarizes para os amantes da arquitetura e da paisagem.

Alguns dos nomes mais conceituados da arquitetura lusa e internacional emprestaram já o seu talento na construção destes edifícios.

As adegas alentejanas incluídas nesta lista são três, mas caberiam certamente mais umas quantas.

 

Uma das escolhidas é a Adega do Moinho Branco, da Ribafreixo Wines, em Vidigueira (Beja).

Nascida em campos outrora abandonados, a propriedade conta hoje com 114 hectares. A adega nasceu em 2012 e, como as anteriores, quis cumprir dois requisitos essenciais: produzir vinho de qualidade e estar preparada para receber enoturistas.

O edifício, contruído no ponto mais alto da herdade, tem linhas contemporâneas e um aproveitamento esplendido da luz natural e da gravidade, permitindo-lhe também um magnífico desempenho energético. Com restaurante, loja e sala de provas e a vista panorâmica é um ponto extra a seu favor.

Sem surpresas, também a Adega Mayor, em Campo Maior (Elvas), surge nesta lista. Projetada por Siza Vieira, a adega norte-alentejana é edifício imponente, composto por linhas simples e modernas.

Lá dentro, o visitante deve demorar-se para entender bem todas as fases de produção

Tem 3 pisos e conta com um terraço de onde pode disfrutar da magnífica vista para os 350 hectares da propriedade que conta com vinha, mas também olival.

Na adega pode ainda encontrar um enorme espelho de água com um painel de mármore -também da autoria de Siza Vieira – e pretende simbolizar o Grupo Nabeiro: o café e o vinho.

 

A outra representante alentejana é a belíssima adega da Herdade do Rocim, em Cuba (Beja), e que se encontra na herdade com 120 hectares. A adega nasceu com o intuito de ser um “ponto de encontro de tecnologia e afetos” e além da produção de vinho é um espaço preparado para acolher diversos tipos de eventos. Na Herdade pode ainda aprender mais sobre a vinha e o vinho na sua vinha pedagógica e depois provar os vinhos num bar no terraço panorâmico.

As restantes adegas da lista não são alentejanas, mas não será por isso que não têm também os seus atributos e valores.

Da lista constam ainda a Adega Gran Cruz, em Alijó –projetada por Alexandre Burmester e Jorge Toscano num investimento de 16 milhões de euros; a Quinta do Encontro, em Anadia na região de vinhos da Bairrada, a Quinta do Pessegueiro em S. João da Pesqueira (Viseu); a Adega Mãe, em Torres Vedras e que tem uma arquitetura arrojada; a Adega Quinta da Faísca, do arquiteto Calos Castanheira, em Alijó; a Adega Casa da Torre, em Vila Nova de Famalicão; a Quinta da Pedra, em Monção, e que tem a maior extensão de vinha contínua da casta Alvarinho; as Caves Aliança, em Sangalhos, também na região da Bairrada e a mítica Quinta da Aveleda, em Penafiel, monumento nacional desde 1910.

 

Imagem de capa daqui

Outras imagens daqui e daqui

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.