22 Junho 2015      22:24

Está aqui

ÉVORA FICA SEM COORDENADORA DA VMER

Ireneia Lino, coordenadora da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) de Évora, apresentou a demissão das suas funções por razões pessoais. 

Há alguns anos que a médica especialista de Medicina Interna, Ireneia Lino era a responsável da viatura de intervenção pré-hospitalar da alçada do Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE).

São conhecidos os vários casos em que a viatura de emergência médica esteve inoperacional e todas as polémicas em seu redor.

Foram, pelo menos, três os casos em que o auxílio da viatura foi necessário e que esta não estava disponível: um acidente com um cavalo, na época natalícia de 2014, e que resultou na morte quatro pessoas; outro acidente, perto de Reguengos de Monsaraz, em abril do mesmo ano e onde os dois homens também acabaram por morrer, e outro em setembro, onde por falta de recursos humanos, um homem de 64 anos em paragem cardiorrespiratória acabou também por morrer, por falta de assistência. 

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Alentejo abriu um inquérito para averiguar os motivos da inoperacionalidade da VMER, e concluído que não houve nenhuma “atuação digna da censura” ou de “ilícito de natureza disciplinar”. A mesma ARS reportou então à que, em 2014, a operacionalidade da VMER de Évora era de 96%, face aos 77,25% de 2013.

A gestão dos recursos humanos das viaturas médicas é da responsabilidade do hospital onde o veículo de emergência está adstrito. 

O gabinete de comunicação e marketing do hospital já disse que: "Neste momento, foram já iniciadas as diligências necessárias, continuando a VMER a funcionar dentro da normalidade e garantindo a qualidade da prestação dos cuidados aos utentes da região" numa nota enviada à Lusa. 
 

Imagem daqui

 

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.