Está aqui

Artigos publicados

O REGRESSO DOS DONOS DISTO TUDO

Aquilo que parecia que tinha desaparecido definitivamente no nosso País, tudo indicia que está a regressar em força. Falo das confusões e misturas entre poder político e o poder económico. O regresso dos Donos Disto Tudo.

HOSPITAL CENTRAL DE ÉVORA: UMA NECESSIDADE EMERGENTE

Há muito que tenho manifestado posição favorável quento à construção de um novo hospital em Évora. Nem podia ser de outra forma. Esta é e deve continuar a ser uma prioridade incontestável.

Pretende-se a substituição dos actuais edifícios do Patrocínio e do Espírito Santo, separados por uma estrada nacional. São edifícios obsoletos para a função, com espaços inadequados e que tornam difícil a prestação de serviços de qualidade.

UM GOVERNO EM PLENA CAMPANHA ELEITORAL

Este Governo está permanentemente em campanha eleitoral. Vai anunciando medidas atrás de medidas sem quaisquer condições para as suportar. É o Governo mais populista que existiu após o 25 de Abril de 1974.

NOVO ORÇAMENTO FAZ SOFRER O INTERIOR

O Orçamento de Estado para 2016 é claramente penalizador para as regiões do interior, sobretudo para regiões com as características do Alentejo.

Percorrendo todo o OE 2016 não se conseguem vislumbrar quaisquer medidas que sejam de estimulo ao desenvolvimento das regiões mais desprotegidas, sobretudo das que se situam no interior do País.

Também os territórios de baixa densidade demográfica não veem quaisquer medidas de diferenciação positiva neste estranho Orçamento de Estado, que mais parece uma “manta de retalhos”.

OS PERIGOS DE UMA GOVERNAÇÃO ARRISCADA

O anterior Governo PSD / CDS-PP, liderado pelo Dr. Pedro Passos Coelho, teve que lidar com as maiores dificuldades que se podem exigir a um governante. Encontrou um País em plena bancarrota, sem condições para pagar os vencimentos dos funcionários públicos e dos pensionistas. Encontrou um País em plena degenerescência económica e social. Tornava-se fundamental recuperar a credibilidade externa, mas também recuperar o País do estado catastrófico a que foi deixado e libertar Portugal das amarras da Troika.

PERSPETIVAS PARA O ANO DE 2016

Encontramo-nos no início do ano de 2016 e pode ser interessante perspetivar o que poderá ser o presente ano. Não é intenção fazer futurologia, mas sim lançar um conjunto de pistas em relação a algumas matérias que interessam à nossa população. Há também a intenção de tentar perceber quais os possíveis efeitos dessas matérias na vida das pessoas.

Páginas