Está aqui

Artigos publicados

A POLITIQUICE DOS PSEUDO-LÍDERES

Há duas semanas escrevi sobre a incerteza que seria a saída do Reino Unido da União Europeia, hoje escrevo sobre as noticias negativas que têm saído sobre Portugal, excepto claro as do EURO 2016.

A CRISE DOS REFERENDOS!

Em 1975 deu-se o primeiro referendo sobre se o Reino Unido deveria ou não sair da CEE (antiga UE). Na altura o Partido que estava no Governo era o Trabalhista. O mesmo encontrava-se dividido e tinha na oposição uma Margaret Thatcher a apoiar a permanência do Reino Unido na Comunidade Económica Europeia. Ganhou com larga maioria a permanência na CEE. À semelhança do que aconteceu há 41 anos, o Partido no poder encontra-se completamente dividido, mesmo que não sejam os Trabalhistas a governar, desta vez.

E O SIMPLEX+ DA POLÍTICA?

A minha filiação partidária não me impede de reconhecer algumas reformas e soluções importantes por parte do actual Governo. Aliás, enquanto militantes de Partidos políticos jamais devemos ter uma militância fanática ou clubista, que por sua vez só priorizam os interesses partidários e não os verdadeiros interesses de uma comunidade, concelho, região ou país. E tais militantes existem, infelizmente, em todos os partidos políticos.

O QUEIXUME (JÁ) NÃO DEVE MORAR NO ALENTEJO!

É comum ouvir de muitos pessimistas que o Alentejo está cada vez mais a despovoar-se. É ainda mais comum aos menos informados, dizerem que a região Alentejana serve apenas para ir respirar um bom ar puro e passar um bom fim-de-semana turístico pela planície. Há ainda uns, que em busca de um certo protagonismo parolo nos associam ao “tempo dos cowboys e dos pistoleiros”.

A ESTUPIDEZ SEXISTA DO BLOCO

Confesso que não costumo levar muito a sério algumas das propostas pouco produtivas que o Bloco de Esquerda costumar trazer para a ribalta. Acontece que ultimamente tenho dado uma maior atenção às políticas apresentadas pelo BE, tendo em conta que este é um dos principais Partidos que suportam e apoiam o actual Governo.
 

COMPROMISSO REFORMISTA

O slogan do XXXVI Congresso do PSD realizado em Espinho, não poderia ser o mais acertado, “Compromisso reformista”. A Família Social Democrata reuniu-se no passado fim-de-semana para a reunião magna daquele que é o palco principal de um dos maiores Partidos de Portugal.

TERRORISMO DE GUERRILHA

Em 2015, o Mali, Tunísia, Dinamarca, Quénia e a França, por duas vezes, foram atacados por radicais em nome do Islamismo. Ontem, a Europa voltou a viver momentos sangrentos, de medo e de puro horror.                                                                                  

Desta vez foi em Bruxelas, na Bélgica. Desta vez foi em pleno coração de uma cidade que recolhe as principais Instituições Europeias e que se encontrava em nível 3, de 4, no alerta contra o terrorismo.    

EUA: ESTABILIDADE OU RADICALISMO?

Barack Obama está prestes a terminar o seu segundo mandato à frente da casa branca e sairá pela “porta grande”, com níveis elevados de popularidade. Sai com uma das suas maiores bandeiras aprovada e em fase de iniciação, o Obamacare. Ao contrário do encerramento da prisão militar de Guatanamo, que dificilmente será apoiado pelos Republicanos e da tentativa falhada de proibir a livre circulação de armas. Mesmo assim Obama terá uma enorme influência na escolha Democrata para as Eleições Presidenciais, que tudo indica apoiar desta vez, Hillary Clinton.

O GOVERNO DAS REVERSÕES

O novo Governo Português ainda nem dois meses tem desde a sua tomada de posse e já tomou como posição a diminuição mais lenta do défice orçamental (aumentando os custos de financiamento em 11 mil milhões de euros até 2019) e tem como principal prioridade a reversão de políticas do Governo PSD/CDS.

O GOLPE PALACIANO PORTUGUÊS

A minha rúbrica no Tribuna do Alentejo esteve como a Democracia Portuguesa: INTERROMPIDA.

O insólito aconteceu depois do dia 4 de Outubro de 2015. O PPD/PSD e o CDS/PP foram as forças políticas mais votadas nas últimas Legislativas, mas isso já não é novidade para ninguém, nem o será na restante Legislatura.

Páginas