Está aqui

Artigos publicados

HONESTIDADE E TRANSPARÊNCIA

Nas últimas semanas temos sido brindados por mais uma polémica em torno da Caixa Geral de Depósitos.

Desta feita, a polémica prende-se com a entrega de declaração de rendimentos por parte da nova Administração da Caixa.

No entendimento dos Administradores, conhecido esta semana, os mesmos não encontram argumentos para a obrigatoriedade de entrega de tais declarações.

NO SHE CAN'T

Na quarta-feira, o Mundo acordou em choque com a notícia da eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos da América.

Todos questionam como será possível tal eleição. Há ofensas a eleitores e ao próprio candidato, juntamente com o receio das medidas que poderão vir a ser tomadas pelo Presidente eleito.

DE CABEÇA PERDIDA

Esta semana, durante o debate do Orçamento de Estado na generalidade, a Deputada do PSD Berta Cabral, em resposta à intervenção do Secretário-Geral da Juventude Socialista, João Torres, afirmou que a Juventude estava de cabeça perdida, tendo obrigado um Deputado da sua bancada parlamentar a intervir para tentar apagar o que tinha sido dito.

Isto depois de, na véspera, o Deputado do CDS, João Almeida ter chamado “idiotas úteis” aos apoiantes do Governo actualmente em funções, tendo reiterado por diversas vezes tal expressão.

REABILITAR PARA ARRENDAR

Em Lisboa foi esta semana anunciada a implementação do projecto “reabilitar para arrendar”. Tal como o nome indica, este projecto consiste na reabilitação de habitações antigas, localizadas em zonas históricas da cidade, por forma a que possam ser colocadas no mercado de arrendamento a preços acessíveis.

Esta medida destina-se a trazer mais pessoas para o centro da cidade, não apenas com o intuito turístico mas sim com a vista na habitação em permanência.

UM ORÇAMENTO DE ESQUERDA

Em fase de apresentação e discussão do Orçamento de Estado para 2017 e após a análise das medidas que estão disponibilizadas publicamente em site criado para o efeito, a primeira conclusão só pode ser uma: estamos perante um verdadeiro orçamento de esquerda.

Um Orçamento virado para as políticas sociais e para a reposição de direitos que ao longo dos últimos anos têm vindo a ser retirados aos portugueses.

O MERCADO DA CONCORRÊNCIA

Já há algum tempo que não ando de táxi, nem nunca experimentei as plataformas Uber e Cabify mas, depois do sucedido esta semana a minha certeza é uma: muito dificilmente voltarei a entrar num táxi.

Durante anos recorri com alguma frequência aos táxis e posso dizer que apanhei um pouco de tudo.

Desde profissionais que desrepeitavam os limites de velocidade de forma excessiva, a profissionais que reclamavam de distâncias curtas e procuravam o caminho mais longe.

O RECONHECIMENTO MERECIDO

Esta semana provou-se que, para além dos jogos de poder e de interesses carreiristas, o mérito ainda tem algum espaço na União Europeia.

Após todas as votações que teve que enfrentar e da candidatura de uma nova candidata promovida pela Comissão Europeia, António Guterres venceu a eleição para Secretário-Geral das Nações Unidas.

Aquando das presidenciais, muitos o apontaram como o único candidato capaz de derrotar Marcelo Rebelo de Sousa, sendo que Guterres se apressou a informar que não seria sua intenção concorrer a tal cargo.

VIDAS DESLOCADAS

O dia começa cedo. Há trânsito a evitar pelo que um minuto de preguiça equivale a vários minutos em filas intermináveis.

Da véspera o cansaço de mais uma viagem da primeira para a segunda casa. São poucas horas de caminho mas, por vezes, a distância quase equivale a um oceano.

A rotina diária começa a ser feita. Durante o dia um telefonema para contar as peripécias do membro mais recente da família e o coração apertado por, mais uma vez, não ter estado lá.

O DESVIAR DA CULPA

Na sequência da carta pública da concelhia da JS Évora ao Presidente da Câmara Municipal, o próprio chamou-nos para uma reunião por forma a discutirmos um pouco melhor tudo o que se tem passado em redor da falta de limpeza da cidade e da manutenção dos equipamentos de recolha de lixo.

Na sequência dos esclarecimentos pedidos na carta, o Sr. Presidente informou que a situação está a ser tratada sendo que, ainda inexplicavelmente, não conseguiu dar garantias que a situação não se repetisse em anos futuro, tendo sido dito pelo próprio que “prognósticos só no fim do jogo”.

A FALSA HUMILDADE NÃO PODE ENGANAR

Confesso que sempre admirei o Juíz Carlos Alexandre, pela postura, pela coragem e pela forma como geria os seus processos e a exposição mediática dos mesmos.

Foi fácil, de início, acreditar na imagem de seriedade transmitida e que se prolongou por algum tempo.

Ao longo do tempo e com o acompanhamento de alguns dos processos mais mediáticos a nível nacional, o chamado “super juiz” começou a mostrar as suas verdadeiras características.

Desde medidas e argumentações incongruentes e posturas que, cada vez mais se afastam daquelas que um magistrado deverá adoptar.

Páginas