Está aqui

Política Internacional

PRESIDENCIAIS FRANCESAS

No rescaldo das presidenciais francesas, temos Le Pen e Macron a passar à segunda volta, com este último a conquistar o apoio de quase todos os candidatos derrotados, à excepção de Mélenchon que, por ora, não revelou o seu sentido de voto no próximo dia 07 de Maio, data agendada para a segunda volta.

Para o Partido Socialista francês foi, porventura, a maior derrota de sempre, estando o Partido dividido entre Macron e Hamon, o candidato apoiado oficialmente pelo Partido.

A DERRUBAR E A ERGUER MUROS HÁ DÉCADAS

A 9 de novembro de 1989, depois de 28 anos de existência, o muro de Berlim caiu. Faz hoje 27 anos. Mas, por detrás dessa cortina simbólica e longe do olhar do público esse ato consumou a passagem de uma sociedade disciplinar para uma sociedade biopolítica ou de segurança, para usar expressões “Foucaultianas”.

Por esse mundo fora, continuam a elevar-se tanto barreiras invisíveis como físicas do mais variado tipo, predominantemente sociais, raciais, religiosas e ideológicas.

BREXIT, PESADELO OU MUDANÇA PARA FICAR TUDO NA MESMA?

Na passada quinta-feira, assistimos a um momento histórico na vida da União Europeia. O Reino Unido, através de referendo, votou a sua saída da União Europeia. Sexta-feira o mundo acordou em sobressalto com a notícia e com as consequências que poderão advir dessa tomada de decisão.

A CRISE DOS REFERENDOS!

Em 1975 deu-se o primeiro referendo sobre se o Reino Unido deveria ou não sair da CEE (antiga UE). Na altura o Partido que estava no Governo era o Trabalhista. O mesmo encontrava-se dividido e tinha na oposição uma Margaret Thatcher a apoiar a permanência do Reino Unido na Comunidade Económica Europeia. Ganhou com larga maioria a permanência na CEE. À semelhança do que aconteceu há 41 anos, o Partido no poder encontra-se completamente dividido, mesmo que não sejam os Trabalhistas a governar, desta vez.