Está aqui

Governo

INTENÇÕES QUE ARDEM, VIDAS QUE SE VÃO

É certo que não sou especialista em questões ambientais, nem tão pouco sou um visionário no que toca a assuntos da esfera florestal, ecológica e do ordenamento do território. O que vos quero trazer aqui é apenas uma memória de infância, que me faz refletir várias vezes aquando das catástrofes incendiárias. A tragédia de Pedrógão Grande refrescou-me novamente a memória…infelizmente não pelas melhores razões.

O QUÃO PEQUENOS SOMOS

Esta imagem reflecte tudo o que todos nós temos vindo a sentir perante esta tragédia. Não são “apenas” o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa e o Secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes num abraço emocionado. São dois homens a tentar reagir perante a dimensão da tragédia que assolou Pedrógão Grande.

O PRIMEIRO PASSO

Esta semana foi avançado pelo Governo que os centros de saúde passarão a ter serviços de medicina dentária passando esta assistência a integrar o Serviço Nacional de Saúde.

É sem dúvida um passo importante na integração de especialidades médicas essenciais no Serviço Nacional de Saúde. Dada a sua importância, tal medida deverá igualmente ser adoptada em áreas como a oftalmologia.

ALENTEJO SOFRE COM CORTES NA SAÚDE

A norma de execução orçamental publicada e apresentada pelo Governo esta terça-feira, dia 6 de junho, que obriga os hospitais a cortarem em pelo menos 35% nos gastos com a contratação de médicos tarefeiros externos ao Serviço Nacional de Saúde (SNS), vai agravar este sistema que já se encontra altamente deficitário.

PARA QUE NÃO VOLTE A ACONTECER

A Comissão Europeia confirmou esta semana a saída de Portugal do Procedimento por Défice Excessivo. Em termos práticos, é muito importante sublinhar que o País e os portugueses estão verdadeiramente de parabéns. Foi um esforço muito grande que os portugueses fizeram para se livrar deste espartilho. Dum espartilho onde nunca deveríamos ter entrado.

Portugal esteve os últimos 8 anos sujeito ao Procedimento por Défice Excessivo. Desde 2009 (da então famigerada governação de José Sócrates) que nos encontramos perante as amarras desta complexa exigência.

O MAIOR SAQUE FISCAL DA HISTÓRIA

O aumento ISP implementado por este Governo é o maior saque fiscal da história.

O aumento do Imposto sobre Produtos Petrolíferos (ISP) implementado por este Governo é o maior saque fiscal que há história.

Esta é uma opção tomada exclusivamente por este Governo. Tomada em plena liberdade: Sem a necessidade da intervenção da Troika; sem a necessidade de ter que cumprir os condicionalismos do Memorando de Entendimento; fora dos défices elevadíssimos (acima dos 10% como nos encontrávamos em 2011), Livres da Bancarrota criada na governação de José Sócrates.

O ASSALTO AO BANCO DE PORTUGAL

Tem vindo a tornar-se hábito assistirmos ao Partido Socialista quando está no Poder tentar impor a sua vontade em Instituições Públicas com autonomia de decisão ou em Entidades independentes.                                               Viu-se na altura de José Sócrates na sua ligação ao grupo Espanhol da Media Capital (entre outros) e vê-se agora nas nomeações e nas tentativas de se rever o modelo de uma Entidade que pela sua independência e trabalho técnico que é o Conselho das Finanças Públicas, não tem que partilhar das previsões e das vontades do Governo.               

PROFETAS DA DESGRAÇA

Estranha forma de fazer política.

Enquanto todos os estudos revelam um claro aumento da confiança no Governo, Passos Coelho e os seus seguidores no PSD mantêm o discurso da hecatombe. Com enorme esforço e duvidosa imaginação vão-se dedicando a profetizar toda a espécie de catástrofes.

Felizmente para os portugueses, não há meio de acertarem uma.

A vida não está fácil para os profetas da desgraça.

PROGRAMA DE ESTABILIDADE E PLANO NACIONAL DE REFORMAS: SEM AMBIÇÃO E MAIS DO MESMO

O Governo prossegue o seu caminho autista. O Programa de Estabilidade (PE) e o Plano Nacional de Reformas (PNR) foram feitos sem ouvir o PSD (partido com mais deputados no Parlamento). Curiosamente, um Governo que está sempre a falar de consensos, esquece-se de ouvir a opinião do partido mais representado no parlamento, sobre matérias essenciais para o País. É assim!

De qualquer forma, o Programa de Estabilidade e o Plano Nacional de Reformas não apresentam quaisquer ambições para o País. É mais do mesmo!

ANTÓNIO COSTA CELEBRA 25 DE ABRIL EM GRÂNDOLA

Está confirmada a participação de António Costa nas comemorações do 43.º aniversário da revolução dos cravos em Grândola. O secretário-geral do Partido Socialista e primeiro-ministro participa num jantar organizado pela estrutura local do partido socialista a 24 de abril em Grândola.

Imagem de capa de convencaodosservicos.pt

Páginas