Está aqui

Golpe

EMOÇÕES FORJADAS

Eu ontem cheguei de volta ao Brasil, após 3 anos de ausência. À noite, como de costume, na casa onde eu estava, a televisão hd transmitia a Rede Globo. Após a “novela das 7”, veio o Jornal Nacional.

Às vésperas das olimpíadas, obviamente, grande espaço foi reservado a este evento. Por serem rápidos e diversificados, os telejornais ‘globais’ costumam selecionar as suas pautas e organizá-las de maneira a ser criada uma narrativa, elaborada no sentido de despertar no telespectador emoções coerentes com a agenda política da emissora e dos seus parceiros econômicos e políticos.

CARTA AOS MEUS AMIGOS BRASILEIROS: “O POVO NÃO É BOBO”!

Meus Queridos/as Amigos/as Brasileiros, Esta é a minha declaração de interesses sobre o que se passa no Brasil. Através de vocês, e dos vossos relatos, conheci tanto ou mais (talvez muito mais) Brasil real, do que nas diversas viagens que fiz até lá. Através de vocês fui introduzido à politica brasileira, desde as pequeninas discussões do grémio da vossa escola/faculdade/universidade, às grandes mudanças culturais e sociais que se passam no vosso país, Brasil. Passando ainda, e em grande parte, pela revolução da política Educacional, ao abrigo da qual tive o privilégio de vos conhecer a todos, direta ou indiretamente. Esta carta é para todos os que vivem a pressão destes dias, aos que se manifestam hoje (dia 18 de março de 16), aos que se manifestaram pela devolução das merendas, ou pela reabertura das escolas, aos que conheci em Coimbra e Porto Alegre, pelos intercâmbios e pelo Projeto de Licenciatura Internacional (PLI). Para os de renda baixa, e para dos de renda alta. Todos!