Está aqui

Fluviário de Mora

BOLO E CHAMPANHE PARA TODOS NO FLUVIÁRIO DE MORA

O maior e mais completo fluviário do país, reconhecido por toda a Europa, está em Mora, no Alentejo Central, e faz amanhã 10 anos de existência. 10 anos depois e mais de 800 mil visitantes, o Fluviário de Mora marca hoje a vida de um concelho com menos de 5 mil habitantes e o impacto na economia local tem beneficiado restauração e serviços locais em geral.

Para celebrar a data o Fluviário de Mora vai oferecer bolo de aniversário e champanhe para todos os visitantes no próximo sábado, dia 25 de março.

MORA: ABERTAS CANDIDATURAS AO PRÉMIO JOVEM CIENTISTA DO ANO

O período de candidaturas ao Prémio Fluviário de Mora 2016 – Jovem Cientista do Ano decorre até ao dia 31 de Dezembro e distingue alunos de doutoramento, mestrado ou licenciatura que tenha publicado, como primeiro autor, um artigo (revista SCI), no ano a que se refere o concurso, na temática conservação e biodiversidade de recursos aquáticos continentais (Estuários e Rios).

Este prémio já distinguiu 11 jovens investigadores, promovendo o desenvolvimento do conhecimento nas áreas da Conservação e Biodiversidade dos Recursos Aquáticos Continentais (Rios e Estuários).

MORA: FLUVIÁRIO E DELTA CAFÉS LANÇAM CAMPANHA PROMOCIONAL

São cinquenta mil (50 000) pacotes de açúcar com uma colecção de imagens do Fluviário de Mora e que vão chegar às mesas de cafés e restaurantes da Grande Lisboa e do centro do País. Num acção conjunta com a Delta Cafés, a colecção de imagens do Fluviário de Mora em pacotes de açúcar revela, entre outros segredos, que as lontras são capazes de assobiar, guinchar e chiar, que os cágados são mais antigos que os dinossauros, que os peixes nunca dormem e que há rãs venenosas no Alentejo.

COMO UMA VILA ALENTEJANA ENGANOU O DESAPARECIMENTO

Com menos de 5 000 habitantes o concelho de Mora, distrito de Évora, teve que se reiventar para escapar ao inexorável despovoamento de que padece o interior do país, particularmente o Alentejo. Primeiro foi o Fluviário, um aquário público dedicado aos ecossistemas de água doce inaugurado a 21 de Março de 2007 e que colocou a vila no mapa dos locais nacionais a visitar. 

FLUVIÁRIO DE MORA REPRODUZ MONSTROS DO RIO

O aquário “Monstros do Rio” do Fluviário de Mora, que alberga espécies de maior porte, foi maternidade para 10 carpas juvenis cujas mães têm mais de 20 quilos.

Neste momento os exemplares tem 15cm de comprimento e mantêm-se  unidos entre a vegetação do aquário para sobreviver entre 18 exemplares gigantes, de Cyprinus carpio (carpas), Luciobarbo bocagei (barbos) e exemplares da família Acipenser sp.(esturjão).

Ao fim de nove anos o Fluviário de Mora, com mais de 500 exemplares de 65 espécies de animais que habitam os rios,  já recebeu mais de 750 mil visitantes.

750 MIL VISITANTES NO FLUVIÁRIO DE MORA

Tem menos de dez anos, no entanto, o impacto do Fluviário de Mora no concelho e na região já faz sentir de modo relevante.

Sendo o factor de maior atração do concelho de Mora (Évora), o Fluviário já conta com cerca de 750 mil visitantes, num concelho com cerca de 5 mil habitantes.

O Presidente da Câmara de Mora, Luís Simão, declarou à Lusa que "Em Mora, há um tempo antes do Fluviário e um tempo pós-Fluviário. É um projeto que marca de forma muito nítida a vida do concelho."

MORA: FLUVIÁRIO TEM MISTÉRIO DO NATAL

O Fluviário de Mora está a preparar um programa inovador dedicado aos seus visitantes nesta época festiva. O Mistério do Natal é um programa especial que leva os visitantes a seguir uma série de pistas ao longo da sua visita ao Fluviário, através de um mapa entregue na entrada e com o objectivo de desvendar, claro está, o mistério, que pode ser feito entre os dias 19 de dezembro e 3 de janeiro.

S. MARTINHO NO FLUVIÁRIO

O Fluviário de Mora também comemora o S. Martinho e vai assinalar o dia com a atividade "Bolota, A Castanha do Alentejo", uma vez que no concelho de Mora existem cerca de 30.000ha de área florestal, - um dos concelhos com maior densidade florestal a sul do Tejo e o quinto do país – sendo maioritariamente constituídas por sobro e azinho. A exceção é a Mata Nacional de Cabeção, uma das maiores matas de pinheiro manso do Alentejo.

NASCEM SARAMUGOS NO FLUVIÁRIO DE MORA

Em 2007, o Fluviário de Mora e Universidade de Évora lançaram-se num projeto que previa a reprodução do saramugo, um peixe, exclusivo do Guadiana, e que estava em extinção - segundo os critérios da International Union for Conservation of Nature (IUCN) e do Atlas e Livro Vermelho dos Peixes Continentais de Espanha (2002) - e era mesmo uma das mais ameaçadas do mundo.

DORMIR COM AS LONTRAS NO FLUVIÁRIO DE MORA

É verão e nem toda a gente corre para o litoral. Há quem procure o interior e prefira os rios ao mar. Ou simplesmente há quem guarde o tempo de lazer para ter praia e para ter rio, o que nos parece bastante inteligente, porque diversificado e pouco monótono.

Páginas