Está aqui

Festival Sete Sóis Sete Luas

ARTE E MÚSICA MEDITERRÂNICA NO SETE SÓIS, SETE LUAS EM ODEMIRA

Odemira recebe a 25ª edição do Festival Sete Sóis Sete Luas, com a arte e a música do Mediterrâneo e do mundo lusófono. O programa integra espetáculos musicais, uma grande performance de rua e uma exposição de pintura, nos dias 16, 17, e 30 de setembro, respetivamente.

CASTRO VERDE RECEBE FESTIVAL MEDITERRÂNICO

Serão os sons dos Rhytmes Des 7Lunes, Aiwa Band, Ana Alcaide, Cuca Roseta e cante alentejano que vão marcar o Festival Planície Mediterrânica, em Castro Verde (Beja), num programa que se completa com oficinas, bailes, exposições e gastronomia.

Este Festival integra a rede do Festival Sete Sóis Sete Luas, que, na edição 2016, envolveu 33 municípios de 13 países - incluindo o também alentejano município de Ourique.

SARAMAGO LIGA O ALENTEJO AO MUNDO

Tudo nasceu de um convite de um grupo de estudantes italianos a José Saramago, durante uma visita ao Alentejo, para ir conhecer a sua cidade, Pontedera, na Toscana, em 1992. Um intercâmbio cultural entre Portugal e Itália que o escritor apadrinhou oferecendo-lhes os direitos de autor em Itália do seu livro “O ano de 1993”. A 24ª edição do Festival Sete Sóis Sete Luas, que atualmente se estende a 30 cidades e 11 países do Mediterrâneo e do norte de África, vai estar presente, entre 24 de junho e 9 de setembro, nos municípios como Ponte de Sor, Alfândega da Fé, Oeiras, Odemira e Castro Verde, com concertos, teatro, dança e degustações. Aqui, a “passarola”, uma máquina voadora inventada pelas personagens que emprestam nome ao evento, é o símbolo desta diluição de fronteiras através da Cultura.