Está aqui

Ethan Coen

SALVE, CÉSAR!

Este último filme dos irmãos Coen, “Salve, César!” (2016), além de uma história sobre os estúdios de Hollywood dos anos de 1950, é igualmente uma paródia ao estilo dos mesmos sobre uma época e contexto político em que a frivolidade reinava sobre o quotidiano das estrelas e onde o cinema não era mais do que um meio, como outro qualquer, de fazer dinheiro e enriquecer. Por isso, os estúdios eram donos, literalmente, da própria vida, profissional e íntima, dos atores. Que eram uma de muitas peças, centrais mas instrumentais, de uma vasta máquina de fabricar histórias, estruturada pela imensidão dos seus sets e pavilhões, pela grandiosidade das suas histórias e pela ambição das narrativas. Acima de tudo isto, temos o produtor executivo Eddie Mannix (Josh Brolin), que é controlado pela urgência do tempo e pela necessidade de manter tudo em movimento.