Está aqui

Energia Nuclear

MILHARES DE ALENTEJANOS PODEM SER AFETADOS POR ACIDENTE NUCLEAR

Cerca de 800 mil portugueses, em grande parte norte-alentejanos, podem ser afetados por um possível a acidente nuclear que ocorra na central espanhola de Almaraz, revelou a associação ambientalista Quercus.

Caso aconteça um acidente na Central espanhola onde têm existido alguns problemas de segurança, num espaço de 12 horas após uma explosão a nuvem radioativa entraria em território português, como revela uma simulação do exército português, de 2010, feita pelo Elemento de Defesa Biológico, Químico e Radiológico do Comando das Forças Terrestres e divulgada pela Rádio Renascença.

INCIDENTE DE HOJE DEVIA LEVAR ESPANHÓIS A PLANEAR ENCERRAR CENTRAL NUCLEAR DE ALMARAZ

 A central nuclear de Almaraz, em Espanha, sofreu hoje, segundo o Movimento Ibérico Antinuclear (MIA) e a Associação Ecologistas em Ação, uma paragem não programada que interrompeu a alimentação elétrica do reator.

Segundo os ambientalistas em comunicado não é a primeira vez que esta "barra de alimentação elétrica dá problemas" e que no passado sábado se deu outro incidente com o sistema elétrico.

EUROPA SEM PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA MAIS DE 145 CENTRAIS NUCLEARES

Situada a 100 km da fronteira portuguesa e refrigerada no rio Tejo, que atravessa o país e que desagua em Lisboa, a Central Nuclear de Almaraz coloca simultaneamente desafios de segurança, de gestão de resíduos, de planeamento do seu encerramento e subsequente desmantelamento. 

O problema de Almaraz tem levantado aceso debate entre Portugal e Espanha e avolumam-se as preocupações com as condições de segurança desta e de cerca de 148 centrais nucleares já encerradas mas não desmanteladas ou em fim de vida.

DIÁLOGO ENTRE ESPANHA E PORTUGAL DEVE RESULTAR NO ENCERRAMENTO DE ALMARAZ

A Comissão Europeia anunciou ontem de que tinha acordado com os governos de Portugal e Espanha uma "resolução amigável" para o litígio em torno da Central Nuclear espanhola de Almaraz, junto à fronteira portuguesa.

Para Carlos Zorrinho, eurodeputado e responsável pelos relatórios das agendas da União Digital e União da Energia, "as questões relacionadas com o nuclear necessitam de supervisão supranacional" este acordo agora anunciado "será bom se conduzir, como acredito, à não construção do armazém, que deve ser uma linha vermelha para Portugal."

ALMARAZ, NÃO OBRIGADO!

A questão da energia nuclear volta a estar em cima da mesa em Portugal. No dia 12 de janeiro último, movimentos cívicos e ambientalistas, portugueses e espanhóis, manifestaram-se, em Lisboa, contra a construção de um novo armazém para resíduos nucleares e contra a continuação do funcionamento da central de Almaraz para além de 2020.