Está aqui

Edia

RESERVAS DE ÁGUA "GARANTEM ABASTECIMENTO PÚBLICO" NO ALENTEJO

Numa reunião que decorreu ontem em Évora e que juntou governo, autarcas, Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, da Empresa de Desenvolvimento e Infra-Estruturas do Alqueva, da Agência Portuguesa do Ambiente, da Águas de Portugal e das Comunidades Intermunicipais do Alto Alentejo, do Alentejo Central, do Alentejo Litoral e do Baixo Alentejo, o secretário de estado do Ambiente, Carlos Martins, garantiu que as reservas de água são suficientes para garantir o abastecimento público no Alentejo, afastando os "piores cenários" com base em estudos realizados às necessidades de água e

FALTA DE ÁGUA EM MÉRTOLA, UM PROBLEMA COM SOLUÇÃO À VISTA

Em ano de seca extrema, que fustiga particularemente o Baixo Alentejo e já obrigou a medidas restritivas no uso da água, Mértola parece ser um dos casos mais preocupantes. 

Em pelo menos 15 concelhos alentejanos não se pode encher piscinas, lavar os carros e até regar os jardins públicos, tudo para garantir as necessidades de consumo humano. Mas mesmo assim alguns concelhos já estão a ser abastecidos de água com recurso a autotanques, como são o caso de Mértola e de Odemira, onde os furos de captação existentes já não dão resposta às necessidades da população.

EDIA FACILITA ACESSO DE EMERGÊNCIA À ÁGUA DO ALQUEVA

A EDIA, e empresa que gere o Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, fez saber em comunicado que tem um plano de emergência para dar resposta à situação de seca que o Alentejo está a viver e que o acesso à água vai ser facilitado a agricultores e produtores de gado.

Segundo aquela empresa, regas de emergência e abeberamento a gado são garantidas pelas infraestruturas e reservatórios da sua responsabilidade, bastando a inscrição dos agricultores na sede da EDIA ou nas delegações dos diferentes perímetros de rega.

ÁGUA DO ALQUEVA "CHEGA PARA TODAS AS NECESSIDADES"

Alvo de críticas de algumas associações de regantes que beneficiam da água da Barragem de Alqueva e que lidam com seca extrema no Baixo Alentejo. a EDIA, empresa que gere o  Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, defende-se através de comunicado, garantindo que Alqueva tem capacidade "para satisfazer todas as necessidades de água para a agricultura na região equipada pelo sistema" e adianta que a limitação está condicionada pela capacidade dos adutores às diferentes albufeiras.

ALDEIA QUE O ALQUEVA ENGOLIU DÁ NOME A EXPOSIÇÃO ÚNICA

O Museu da Luz inaugura, na próxima 5ª feira, dia 29 de junho, a exposição temporária À Luz de uma nova História: Arqueologia nos novos caminhos da água, com uma mostra dos inúmeros vestígios do passado preservados no subsolo e que Alqueva permitiu trazer à luz do dia, durante os trabalhos de mobilização de terras para a construção das diversas barragens, canais, reservatórios e condutas que constituem o Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva.

ALQUEVA É UM BOM EXEMPLO NO USO DE DINHEIRO COMUNITÁRIO

A 8.ª reunião da Comissão de Acompanhamento do Alentejo 2020 tem tem estado a avaliar a execução dos projectos apoiados com fundos europeus e destacou ontem em Beja o projecto Alqueva como bom exemplo na utilização de fundos comunitários. Acompanhados pelo presidente do Conselho de Administração da EDIA, José Pedro Salema, Rudolf Niessler, director da Direção-geral de Política Regional e Urbana da Comissão Europeia, elogiou o impacto económico de Alqueva na região e Roberto Grilo, presidente da CCDR Alentejo, aproveitou a satisfação de Niessler para realçar que o Alentejo sabe utilizar os f

ESTARÁ O ALENTEJO A REGAR COM EFICIÊNCIA?

A grande barragem e o Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva mudaram não só a paisagem mas também a economia alentejana, particularmente a agricultura. E se é certo que essas mudanças aumentaram a produtividade e diversificaram a produção agrícola na região, estará a água a ser gerida com a parcimónia que merece, particularmente em anos de seca como os que estamos a viver? Serão adequadas as técnicas de regadio às culturas muito intensivas que ali se produzem?

ALENTEJO TEM EXPLORAÇÕES MODELO EM FRUTICULTURA

No próximo dia 16 de maio, o Centro de Frutologia Compal, em parceria com a Empresa de Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva (EDIA), organiza o encontro “Cooperação e Escala na fruticultura portuguesa: caminho para a sustentabilidade da Fileira”, no âmbito do Programa de Formação da Academia do Centro de Frutologia Compal, que conta com 12 formandos.

EXPERIÊNCIA AGRÍCOLA ALENTEJANA VAI AJUDAR ANGOLA

Marcos Nhunga, Ministro da Agricultura do governo angolano esteve esta semana numa vista ao Alqueva e inteirou-se da transformação que aquela superestrutura operou na região. O governante angolano veio a Portugal a convite de Capoulas Santos, seu homólogo, e num périplo pelo Alentejo, visitou a Adega Ribafreixo, o Vale da Rosa e a empresa Sovena, esta última líder mundial na produção de azeite e há várias décadas a operar em Angola.

ALQUEVA OFERECE 60 MIL EUROS AOS MELHORES PROJECTOS FRUTÍCOLAS

A Empresa de Desenvolvimento e Infra-Estruturas do Alqueva (EDIA) abriu concurso dirigido a fruticultores que pretendam "instalar-se, reconverter ou aumentar a sua exploração", no âmbito da Academia 2017 do Centro de Frutologia Compal e que oferece no final e a 12 empresários frutícolas mais de 65 horas de formação e aos três melhores projetos, bolsas de instalação num total de 60 mil euros.

Páginas