Está aqui

Comunicação

A SOCIEDADE DOS CANASTRÕES

Em “A Arte na Era de Sua Reprodutibilidade Técnica”, o filósofo e sociólogo Walter Benjamin analisa os impactos das novas tecnologias da comunicação (cinema, rádio e televisão) sobre o modo como as sociedades passaram a se representar por meio das obras de arte, quando estas também passaram a integrar os sistemas de produção industriais. Assim, a arte deixou de ser um objecto de fruição exclusivo das elites letradas, passando a fazer parte do cotidiano das massas.

ALTA-VELOCIDADE MADRID-LISBOA APROVADA

Um comunicado de imprensa da representação espanhola na Comissão Europeia, do passado dia 7 de abril, dá conta da aprovação do projeto de desenvolvimento da linha de alta-velocidade Madrid-Lisboa – via Extremadura espanhola - num investimento de 321,1 milhões de euros, 205,1 milhões diretamente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).
 

RESGATAR A DEMOCRACIA: AS CHAGAS E OS MILAGRES.

A democracia foi sequestrada por três furiosos algozes. Hoje, permanece sob cativeiro, enquanto é torturada até ao âmago da sua essência, cada vez mais escassa, indefinida e perto da extinção na sua forma palpável, real e cotidiana. Contudo, ainda estamos a tempo de a resgatar e salvar de uma morte dolorosa às mãos dos seus captores. Ao olhar para os desafios que a democracia, como forma de liberdade e igualdade da organização das sociedades civilizadas, entre os ideais clássicos de inspiração grega e os vários momentos fundadores do pensamento contemporâneo desde as revoluções francesas e os movimentos políticos do século XIX, posso identificar três bestas do apocalipse que afrontam a sua existência: a) o terrorismo; b) grandes grupos de informação/comunicação; c) a política em si mesma. Contudo, para cada um deles, e em missão de resgate, podemos enviar três cavaleiros: a) a representatividade; b) participação; c) cultura. Entre os vários ataques e possibilidades de salvação da democracia, há dois Meios que, enquanto ferramentas e caminhos, funcionam como importante campo de batalha, cujo terreno pode tanto gerar frutos como ser espaço minado: a televisão, e a internet. Vamos então tentar perceber em que consiste cada um destes pontos.

NOVAS METODOLOGIAS, NOVOS CAMINHOS!

Enquanto professora/formadora, considero essencial existir uma renovação de metodologias de forma a acompanhar a evolução do processo de ensino-aprendizagem. Recentemente estive em Itália, a realizar um curso de formação sobre “Digital Storytelling”. O storytelling (contar histórias) é sempre pessoal, ou seja, refere-se à própria pessoa. A questão do digital significa que se construirá um percurso pessoal com base em fotos e narrado na primeira pessoa e se converterá em vídeo utilizando as novas tecnologias.

O DIREITO DE SER DEIXADO EM PAZ

O desenvolvimento tecnológico aliado a novos métodos de negócio ameaça a nossa vida privada e invade a nossa intimidade. Talvez por isso, o direito ao esquecimento é um dos temas mais intrigantes da atualidade.

Se antes ninguém se preocupava em colocar e compartilhar as suas preferências, gostos e dados pessoais na Internet, hoje em dia esse comportamento é considerado de alto risco.

"DESCOMPLICAR" AS CONVERSAS

Há conversas que, pela sua temática, ou intervenientes, não são fáceis de ter e manter; pedir um aumento de ordenado, despedir um empregado, dizer a um cliente que o projeto não estará terminado a tempo etc. São complicadas, preferir-se-ia não as ter, mas são inevitáveis.

Segundo José Trecet, da redação do Mastermas, já toda a gente teve que enfrentar conversas difíceis, dessas que todos gostaríamos de evitar, mas que tal não é possível. No meio empresarial, dominar estas situações é imprescindível para se liderar e evitar dissabores no trabalho.

São conversas de tal modo complicadas que se fica com vontade de evitar conversas semelhantes. O problema é que, como refere um artigo da “Harvard Business School”, se acaba por criar uma imagem mental negativa face a estas situações.

10 PALAVRAS QUE NÃO DEVE USAR NUM EMAIL

Receber 9072 mails num só mês é algo impressionante! Mas foi isso que aconteceu a Josh Brandon, editor de Tecnologia Inc.com, sendo esse número a media de e-mails que recebe, mesmo sem contar com os mail de publicidade e atualizações das redes sociais.

Dado o número elevado de e-mails que recebe, Brandon apercebeu-se da necessidade de ser mais hábil e pragmático na separação e leitura destas mensagens, mas mais que isso, de não dar uma imagem de falta de confiança.

ESCREVER UM BOM DISCURSO EM 5 PASSOS

Como orador, não há nada pior que fazer um discurso sem vida e aborrecido. A História do mundo está marcada por grandes discursos.

O desejo é o de deixar o público esclarecido, esperançoso e inspirado – mas isto não é fácil.

O Business Insider recomenda cinco passos para se escrever um discurso forte e que entusiasmará a audiência:

5 TRUQUES

É comum pensar-se que 7 segundos é quanto basta para se criar uma primeira impressão. No entanto, um estudo recente da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, mostra que 7 segundos é muito tempo, a primeira impressão é obtida em somente 100 milésimos de segundos!

Como o ser humano está constantemente a “ler” os outros a partir da sua aparência, a necessidade de causar boa impressão ganha uma nova dimensão.

O SILÊNCIO NA COMUNICAÇÃO

PUXAR PELA LÍNGUA

Os sistemas culturais, de que fazemos parte e para os quais contribuímos, são em grande medida sistemas de comunicação, constituindo a linguagem um dos seus meios mais importantes.

Na primazia que normalmente lhe concedemos, nas interacções interpessoais e interculturais que mantemos, não poderemos (nem deveremos), contudo, ignorar outro meio não menos relevante e que a intersecta: o silêncio.

Páginas