Está aqui

Empresas

SOFIA CATARINO, UMA DESIGNER INVULGAR

Chama-se Sofia Catarino, é natural de Lisboa mas há 3 anos que mora no Alentejo, mais precisamente em Castro Verde. É Designer, fotógrafa e criadora da Invulgar, um atelier onde se transforma “lixo” em Arte. As suas peças, feitas a partir de aproveitamento de botões, tecidos, metais, entre outros, podem ser apreciadas em https://www.facebook.com/Invulgar-470352823038411/

STORMY ALENTEJO - OS CAÇADORES DE TEMPESTADES

São o André Farinho, o Daniel Reis, o David Soldado, o João Pereira, o João Santos e o José Ramos, um grupo de 6 amigos com idades compreendidas entre os 21 e os 52 anos, naturais de Pias, concelho de Serpa e apaixonados pelos dias de tempestade. Todos decidiram captar imagens desses grandes momentos, seja em fotografia ou em vídeo, e partilhá-los com o mundo inteiro.

"COISAS DE PANO" É MADE IN ALENTEJO

São a Anabela Ramos e a Céu Dias, duas amigas de longa de data, naturais de Évora, que criaram a "Coisas de Pano", uma marca que se dedica à conceção de artigos para bebé, brinquedos, roupas, cestas, bonecos em pano… Fomos ao encontro das duas e descobrir como a Coisas de Pano pode ser terapêutica e reforçar laços de amizade. Conheça mais no Facebook, em https://www.facebook.com/coisas.depano e o Instagram em coisas_de_pano.

B DE BRINCAR É MADE IN ALENTEJO

Chamam-se Vilma van Harten e Carlos Ramos, nasceram em Angola e em Viseu, respetivamente, mas apaixonaram-se pela região do Alentejo quando vieram estudar na Universidade de Évora. Anos mais tarde, o nascimento do filho do casal determinou outro nascimento: o da marca B de Brincar. Fique a saber tudo nesta entrevista e conheça todos os brinquedos em https://www.facebook.com/BdeBrincar

MULTINACIONAL INSTALA-SE EM BEJA

O grupo multinacional FairFruit vai investir cinco milhões de euros em Beja, numa unidade de processamento, comércio por grosso de frutas e azeite, consultoria e apoio técnico ao nível da produção de frutas. O compromisso da empresa passa pela criação de 300 postos de trabalho entre diretos e indiretos.

EQUILIBRIUM É MADE IN ALENTEJO

Chama-se Rita Barroso, espelha energia e positividade e é a Diretora do Equilibrium, um Centro Terapêutico inaugurado recentemente em Évora, que tem como missão inspirar um estilo de vida saudável e a prática desportiva, um sonho que concretizou. Fomos conhecê-la, com o objetivo de saber um pouco mais sobre este projeto.

HARMONY SEEDS É MADE IN ALENTEJO

Chama-se Luena Gouveia, natural do Brasil, de nacionalidade portuguesa e angolana, e é a criadora da Harmony Seeds, uma marca que produz roupa e acessórios em tecido, tendo como base a difusão de energia positiva, a harmonia no mundo, e a sustentabilidade no setor têxtil, tudo isto a partir de Montemor-o-Novo.

 

Tribuna Alentejo – Olá, Luena. Estás há muito em Montemor?

Luena Gouveia – Não. Vivo em Montemor-o-Novo há cerca de três anos.

MR. WATCHER É MADE IN ALENTEJO

Chama-se Marco Serrabulho e foi a partir de Évora que criou um sistema inteligente de separação de registos e valores nas caixas registadoras, que permite individualizar e responsabilizar eventuais falhas de caixa. 

 

Tribuna Alentejo – Marco, explique-nos um pouco como funciona o Mr. Watcher.

A INFINDÁVEL RIQUEZA DOS FIGOS-DA-ÍNDIA

Chama-se Teresa Laranjeiro e vive no Vimieiro há 15 anos, de onde gere três empresas: a Sobremesa da Vida, que se dedica à produção de figos-da-índia, a CactusExtratus, que se dedica à sua transformação e a Chá-Bravo, destinada à produção de ervas aromáticas. Fomos conhecer melhor estes projetos e esta verdadeira empreendedora. 

Tribuna Alentejo – Em 2000 mudou-se de Lisboa para o Alentejo e não voltou a mudar-se desta região. O que esteve na base desta mudança?

A SINGULARIDADE DE UMA CONTADORA DE HISTÓRIAS

Tratam-na por Bru Junça e é uma contadora de histórias natural de Évora que, entre linhas, agulhas, tecidos e palavras, cria um mundo imaginário baseado em contos, lengalengas ou canções da tradição oral. Lagarto pintado, História da Carochinha, Cabaça... são algumas das personagens que povoam os seus livros feitos à mão, que permitem uma aproximação das novas gerações à época em que os seus avós foram também eles crianças.

 

Páginas