Está aqui

Ambiente

PRODUÇÃO DE CEREAIS COM QUEBRAS ENTRE OS 15% E OS 20%

O Boletim Mensal de Agricultura e Pescas do Instituto Nacional de Estatística (INE) prevê quebras na produção de cereais no Outono/Inverno em 2017 e atribui o facto à seca que assola o país, particularmente no sul.

JÁ ARDERAM MAIS DE 1300 HECTARES ALENTEJANOS

Só nos primeiros seis meses de 2017 – de acordo com o ICNF - Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas - já arderam mais de 1300 hectares no Alentejo e ainda não está contabilizada a área ardida no mais recente incêndio de Niza.

A nível nacional, e segundo o EFFIS - Sistema Europeu de Informação de Incêndios Florestais, recorrendo a imagens de satélite, desde o início do ano e até 25 de julho já arderam em Portugal 122.220 hectares de floresta em Portugal, sete vezes mais do que a média dos últimos oito anos no mesmo período.

 

Imagem de flickr.com

ALENTEJO: SECA PREOCUPA E VAI PIORAR

Ainda não entramos em agosto e o Alentejo já verifica vários problemas no abastecimento de água às populações e na agricultura, tendo inclusive levado à transferência de peixes de umas albufeiras para outras.

A área em seca considerada extrema aumentou no interior do Alentejo – a nível nacional 78% do território, no fim deste mês, está em seca severa e extrema – de acordo com o IPMA - Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

ÉVORA GANHA LABORATÓRIO VIVO PARA A DESCARBONIZAÇÃO

Évora foi uma das cidades nacionais escolhidas pelo Governo Português para receber um Laboratório Vivo para a Descarbonização.

De 35 cidades que apresentaram uma candidatura ao Fundo Ambiental foram escolhidas 12 e Évora está entre as selecionadas para este projeto que pretende tornar as cidades mais inovadoras, sustentáveis e inclusivas, e que estes fatores tenham reflexo na qualidade de vida dos cidadãos. Estes objetivos serão conseguidos através da tecnologia e promovendo um aumento da eficácia e redução do consumo de energia.

 

Imagem de ruralea.com

UM CONCELHO ALENTEJANO NA VANGUARDA DA RECICLAGEM

O concelho alentejano de Alvito foi escolhido para ser piloto num projeto que pretende a recolha seletiva de resíduos porta a porta.

Pretende-se com este método que uma maior percentagem de materiais possa ser reciclada e que todos se sintam mais responsabilizados pela proteção e cuidado do meio ambiente.

O projeto é financiado pelo POSEUR 2020 e está em aberto a aquisição de uma viatura para a recolha de resíduos. Ao dispor dos munícipes estarão os equipamentos necessários para a correta deposição dos resíduos e posterior recolha.

ALENTEJO SOB TEMPERATURAS ALTAS E INCÊNDIOS

Os distritos alentejanos de Portalegre, Évora e Beja - aos quais se junta ainda Castelo Branco, Funchal e Faro - estarão hoje sob aviso amarelo do IPMA - Instituto Português do Mar e da Atmosfera devido às temperaturas elevadas.

Em Portalegre os termómetros irão variar entre os 19 e os 35º; Évora entre 16 e 36º e Beja entre 15 e 37º, ainda assim, longe daquilo a que os alentejanos estão habituados no verão.

BACTÉRIA AMEAÇA "ARRASAR" OLIVAL ALENTEJANO

Chama-se Xylella fastidiosa, é uma bactéria identificada o mês passado em Alicante e que deixou em pânico os agricultores espanhóis. O impacto desta bactéria repercute-se em quebras drásticas de produção e é visível por causar necroses nas folhas das árvores, sejam amendoeiras, oliveiras e citrinos e mesmo a vinha.

FLUVIÁRIO DE MORA RECEBE O "TEMÍVEL" SILURO

O Fluviário de Mora acabou de receber uma nova espécie exótica, o temível Siluro ou Peixe Gato Europeu. Este exemplar foi capturado no rio Tejo e junta-se assim à família do daquele fluviário. O Siluro é uma das maiores espécies de peixes de água doce, chegando a atingir cerca de 2,8 metros de comprimento. É um predador nocturno e, por ser de fácil propagação, é considerada uma espécie invasora.

VIANA DO ALENTEJO É FINALISTA DOS PRÉMIOS "MUNICÍPIO DO ANO"

Viana do Alentejo (Alentejo Central) está a um passo de vencer o prémio "Município do Ano 2017".

Apurados que estão os 4 finalistas escolhidos pelo júri na categoria Região Alentejo, Viana do Alentejo ombreia com Avis e Ponte de Sor do Alto Alentejo e Reguengos de Monsaraz, do Alentejo Central.

SECA OBRIGA A SACRIFÍCIO DE PEIXES EM ALBUFEIRAS ALENTEJANAS

A seca extrema que vive o Alentejo já levou a Comissão Permanente de Prevenção, Monitorização e Acompanhamento dos Efeitos da Seca do governo a impor restrições na utilização da água em 15 concelhos alentejanos. Para além da proibição de lavagem de carros, das regas de jardins públicos e espaços verdes e do enchimento de piscinas, o grupo interministerial decidiu também remover os peixes das albufeiras do Divor em Arraiolos e de Pego do Altar, em Alcácer do Sal.

Páginas