5 Junho 2017      14:45

Está aqui

NÃO, NÃO É SÓ MAIS UM...

NO passado Sábado, Londres voltou a sofrer um atentado, desta feita em vários pontos turísticos da cidade em que as pessoas se tinham reunido para assistir à Final da Liga dos Campeões.

Rapidamente as redes sociais se encheram de posts e comentários a afirmar que era “mais um”, como se algo de normal se tratasse.

Não, não pode ser mais um. Não podemos começar a deixar que estes atentados se transformem em normalidade.

Todo e qualquer atentado, não apenas na Europa, mas em qualquer parte do Mundo deverá ser tratado como se fosse o primeiro, com toda a prioridade e todo o destaque.

Ontem, num concerto organizado em Manchester, foi possível ver que todos queremos dizer “basta”! Foi possível ver milhares de pessoas unidas em torno de uma causa comum: o amor.

Teresa May disse, e a meu ver bem, que não se pode combater o terrorismo com terrorismo, no entanto, é preciso fazer alguma coisa.

Todos sabemos que todos os dias são evitados atentados em diversos países. Muitos nem sequer sonhamos que foram planeados.

No Sábado, as autoridades inglesas actuaram com uma eficácia total, minimizando o que poderia ter sido muito pior.

No entanto, a própria Teresa May pactuou com a retirada de mais 20,000 polícias. Polícias esses que, seja em Londres, seja em qualquer lugar, são cada vez mais essenciais.

Em cada atentado ouvimos dizer que os responsáveis já estavam sinalizados pelas autoridades? Então porque não estavam já detidos pergunta-se.

As próprias autoridades respondem: dado o elevado número de pessoas radicalizadas, é impossível acompanhar uma a uma. Mais, toda a vigilância tem que ser bem medida, por forma a evitar a violação de direitos humanos.

São necessárias autoridades com o devido conhecimento mas, também, será necessário um acompanhamento directamente na fonte.

Com a internet, é fácil chegar a terceiros e encher-lhes a cabeça com radicalismos.

Como impedimos isto?

Entre a segurança internacional e os direitos humanos, existe uma fronteira que não pode ser ultrapassada mas, uma vez mais, algo tem que ser feito, mesmo respeitando os direitos de terceiros.

Não podemos ser como eles! Não nos podemos agarrar a uma ideia e, com ela, justificar actos hediondos.

A justiça tem que ser feita e a prevenção também, ontem já era tarde para se continuar o combate ao terrorismo de forma inteligente e equitativa.

Não foi só mais um. Foi um dia em que morreram pessoas e outras ficaram feridas em nome de ninguém sabe bem o quê.

O terrorismo não pode vencer.

O amor e a união vencerão sempre.

Imagem de capa de Daniel LEAL-OLIVAS/AFP

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.