18 Fevereiro 2017      08:15

Está aqui

CHOVE NAS SALAS DE AULA COMO NA RUA

Existem Escolas no Distrito de Évora que chove dentro das salas de aulas.

Lança-se o alerta de dois casos que necessitam de intervenção Urgente:

 

A - Escola Secundária André de Gouveia

A Escola Secundária André de Gouveia construída em 1978, necessita de obras urgentes.

É possível verificar todos os dias os efeitos da chuva, de canalizações em rutura, de curtos circuitos elétricos avariados, com os estragos sucessivos em servidores e computadores e perda importante de documentação.

Chove em muitas das salas de aula, havendo a necessidade de desviar mesas, cadeiras, alunos e professores. A cozinha tem canalizações ferrugentas que rebentam constantemente e não é possível ligar ao mesmo tempo diversos dos equipamentos elétricos.

As deficiências são inúmeras: existem graves problemas na instalação elétrica, os azulejos estão partidos e degradados, o refeitório é velho e muito pouco acolhedor, bem como o bar e o salão polivalente se encontram pouco apelativos. A secretaria é antiquada e nada funcional, onde não existem gabinetes para a gestão e coordenador técnico, para arquivos, gabinetes para os diferentes departamentos, SPO, Educação Especial, gabinete médico para primeiros socorros, entre outros problemas.

Torna-se urgente a requalificação desta escola, cujo edifício apresenta uma degradação acentuada, com a agravante de existirem coberturas de fibrocimento com amianto que apresentam fissuras bastante avançadas. O caso mais alarmante desta matéria passa-se no gimnodesportivo, o que acarreta riscos acrescidos aos alunos, professores e funcionários da Escola.

Esta situação acarreta problemas diários na sua manutenção e conservação, quer ao nível estrutural, quer ao nível de equipamentos. Com o magro orçamento, atualmente atribuído, não é possível fazer face às necessidades que surgem diariamente.

Tal como se encontra esta Escola (herdeira do espólio do antigo Liceu Nacional de Évora), em avançado grau de degenerescência, torna-a pouco apelativa para cativar alunos.

 

B - Escola Básica e Secundária Dr. Isidoro de Sousa em Viana do Alentejo

Recentemente, foi possível verificar os efeitos de um dia de maior intensidade de chuva na Escola Básica e Secundária Dr. Isidoro de Sousa em Viana do Alentejo (EBSIS).

Choveu nas salas de aula. Foi necessário recorrer a baldes e outros utensílios para rececionar a água da chuva e evitar riscos para as pessoas.

Existe a necessidade urgente da requalificação da EBSIS, cujo edifício apresenta uma degradação acentuada, com a agravante de existirem fibras de amianto nas coberturas.

 

A situação é urgente, visto as coberturas que subsistem nos pavilhões, apresentam-se muito degradadas, com fissuras ou partidas, o que acarreta riscos acrescidos aos alunos, professores e funcionários daquela Escola. Apesar da necessidade de investimento já existir há algum tempo, note-se que só muito recentemente é que esta questão (de coberturas com fissuras ou partidas) se começou a tornar bastante evidente.

 

É obrigatória a intervenção urgente nesta escola de Viana do Alentejo.

 

A realização destes importantes investimentos ficou perspetivado para a nova vaga de fundos comunitários 2014-2020, no âmbito do Programa Operacional Regional do Alentejo – ALENTEJO 2020.

São dois exemplos muito semelhantes que necessitam de uma intervenção bastante urgente.

 

Imagem de ag4evora.edu.pt

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.