6 Janeiro 2021      10:47

Está aqui

Aljustrel rende 3000 quilos na primeira colheita de canábis para fins medicinais

A primeira colheita da exploração de canábis da RPK Biopharma, em Aljustrel, gerou um total de “aproximadamente três mil quilos de flor seca de canábis”, a partir de 40 mil plantas.

Os números foram divulgados pela The Flowr Corporation, sociedade canadiana proprietária da Holigen e da sua subsidiária portuguesa, a RPK Biopharma, num comunicado com a atualização sobre as suas operações em Portugal, enviado à agência Lusa.

Segundo a empresa, a maior colheita de canábis ao ar livre da Europa, em Aljustrel, “rendeu aproximadamente três mil quilos de flor de canábis com alto teor de THC” [tetra-hidrocanabinol, composto derivado destas plantas].

Paralelamente, as colheitas nos politúneis interiores da exploração alentejana “renderam aproximadamente 35 quilos de flor seca de canábis + 20% THC”.

Com estes resultados, a Flowr Corporation disse esperar “obter a certificação GMP [Good Manufacturing Practice/ Boas Práticas de Fabrico] europeia em 2021”.

Vinay Tolia, CEO da Flowr, “não há nenhum outro projeto como este na União Europeia (UE) e esperamos poder alavancar esta capacidade de cultivo de baixo custo para produzir um conjunto diversificado de produtos derivados, bem como flores secas, que acreditamos que serão lançadas com certificação GMP”.

Já Deron Caplan, diretor de pesquisa e desenvolvimento na Flowr, também citado no comunicado, “os resultados preliminares” da colheita dos politúneis interiores da empresa em Aljustrel “podem ser indicativos de um modelo de negócio de sucesso na UE e para a indústria de canábis medicinal”.

Além destes resultados da primeira colheita, a Flowr anunciou também que concordou fechar a parcela final de financiamento da joint venture de Aljustrel, “no valor de um milhão de dólares”, com a também canadiana Terrace Global. “Continuamos a trabalhar para fechar a aquisição da Terrace Global até o final do ano e estamos extremamente animados com o que o futuro reserva para ambas as organizações”, sublinhou Vinay Tolia.

A empresa revelou também ter estabelecido um acordo de “armazenagem estratégico” nas suas instalações em Sintra com a Tilray, que tem uma unidade de produção de canábis medicinal com 15 mil metros quadrados em Cantanhede.

“As partes vão comprometer-se a desenvolver uma abordagem colaborativa com o objetivo de alavancar a UE com as instalações com certificação GMP em Portugal destinadas à armazenagem de produtos de canábis medicinal para o mercado europeu”, acrescentou a empresa, destacando que os “termos comerciais do acordo não foram divulgados”.

Recorde-se que a Flowr Corporation é uma empresa produtora de canábis com sede em Toronto e operações no Canadá, Europa e Austrália. Um dos seus projetos, desenvolvido através da Holigen e da subsidiária portuguesa RPK Biopharma, está instalado perto da aldeia de São João de Negrilhos, no concelho de Aljustrel, e recebeu autorização do Infarmed em julho de 2019.

Esta trata-se da maior plantação de canábis para fins medicinais da Europa, numa área que vai chegar aos 40 hectares este ano, após um investimento total de cerca de 45 milhões de euros e que poderá criar até 200 postos de trabalho.

CAPTCHA
Image CAPTCHA
Escreva o caracteres que vê na imagem do lado direito.